Salve Jorge

É indiscutível a enorme contribuição que Glória Perez ja fez a televisão brasileira, com novelas que marcaram época e se eternizaram como clássicos da televisão brasileira, como "O Clone" e "Caminho das Índias", mas colocar no ar uma novela de uma autora de novelas tão consagrada, logo após os 52 pontos de ibope que "Avenida Brasil" conquistou no seu final, seria não só suicídio da Rede Globo, como da própria Glória, que se mostrou uma pessoa muito diferente do que pensávamos que era.

No entanto, nós nos perguntamos o que deu errado desta vez, porque tudo que Glória ja fez sucesso colocando no ar, estava presente em "Salve Jorge": Protagonista bonita (assim como Juliana Paes de "Caminho das Índias" e Giovana Antonelli em "O Clone"), uma mensagem social, o conhecimento de uma nova cultura de um outro país e um elenco enorme, mas cheio de figuras adoras pelo público, como Domingos Montagner. Mas infelizmente essa repetição da fórmula Glória foi o que deu errado, porque se você voltar algumas novelas atrás vai perceber que os grandes escritores fracassaram recentemente porque abusaram da sua própria moda, como Gilberto Braga na medonha "Insensato Coração", Sílvio de Abreu com seu remake mal calculado de "Guerra dos Sexos" ou da patética "Passíone", e agora Glória Perez que se apegou muito a mensagem que queria passar, deixou de fazer o básico de uma novela: entreter.
Um dos grandes problemas de "Salve Jorge" foi o tamanho do elenco, pois duvido que nenhum telespectador nunca ficou se perguntando "Por Onde Anda?", porque passavam capítulos e tudo continuava praticamente a mesma coisa, com os mesmos personagens desaparecidos, as situações-problema continuavam as mesmas, atores caindo de para quedas em cena, piadas que não funcionavam, uma trilha sonora que não empolgava, e principalmente, ter um protagonista tão entediante como Théo, pois muitos disseram que Nanda Costa era o problema, mas não era, pois mesmo que ela esteja muito nova para ser protagonista de uma novela das nove, pudemos ver seu crescimento em cena, seja profissionalmente ou pessoalmente. O que não aconteceu com Rodrigo Lombardi, que entregou uma das piores atuações da sua carreira, sendo muito triste e frustrante ter visto seu brilhante trabalho em "O Astro" e ver essa coisa mediana e sem alma que ele chamou de personagem. Cláudia Raia me decepcionou muito no papel de vilã mor. Esperava uma performace mais solta, mais espontânea, no entanto a impressão era de que tanto a personagem, quanto a atriz estavam presas a alguma coisa que não as deixavam fazer o que tinha que fazer. Depois de ver Lívia Marini, certamente prefiro que Raia continue com o seu espetáculo excelente "Cabaret" (que se você esta no RJ deveria ir conferir) e faça mais comédias, por que sua personagem em "Ti Ti Ti" era hilária e espontânea. Outro que nem chegou a mostrar a que veio foi Domingos Montagner, que devido ao terrível personagem não conseguia dar o melhor de si. Ja o vimos muito melhor, como cangaceiro na ótima "Cordel Encantado".
Embora tenhamos visto muita gente ruim, como Natália do Vale (sabe fazer coisa muito melhor que isso) e Thammy Miranda (só me agradou quando encarnou Lohana, mas ja era muito tarde para me fazer gostar), tivemos grandes performaces como: Suzana Faini, Luci Pereira, Paloma Bernardi, Bruna Marquezine, Stênio Garcia, Nívea Maria, Lisandra Souto, Ana Beatriz Nogueira (como sempre), Nicette Bruno (a alma do seu núcleo morno e sem graça), Dira Paes e Zezé Polessa. Com destaque para: Giovana Antonelli que felizmente fazia a veia cômica da novela, nos abençoando com mais uma das suas performaces primorosas. Totia Meirelles foi (sem dúvida alguma) a melhor atriz em cena, pois ela nunca fez um personagem que demonstrasse tanto seu talento. Fernando Garib mostra que tem muito talento para continuar na Rede Globo, a menos que eles estejam dispostos a perde-lo para as novelas sem graça da Record. Ele se mostrou um ator excelente. E antes que me esqueça, Vera Fischer é uma atriz que embora se apague muita a sua beleza (de antigamente), ela precisa de papeis mais bem elaborados e que a faça provar que é uma atriz de qualidade, porque ficar praticamente toda a novela sentada atrás de um balcão fazendo a contabilidade do tráfico, não me agradou muito.
Então é isso, Glória recomendo que você refresque suas ideias (e principalmente escreva finais com mais coerência), porque mesmo gostando muito do que você escreve, dessa vez "Salve Jorge" não demonstrou esse talento, porque para mim, essa novela é como um casamento ruim: teve muitos bons momentos, mas os maus momentos eram tão superiores aos bons, que levou a um divórcio. Sendo que dessa vez, será mais difícil fazer com que o público se entenda de novo com o horário nobre e a paz reine novamente, como reinava no Divino.
Que venha "Amor à Vida".
Nota: 6,0

0 comments: