Parker

Chamem-me me hipócrita, mas uma das únicas razões que me fizeram ir aos cinemas assistir "Parker" foi a presença de Jennifer Lopez no elenco, porque se você ver o trailer verá que não há nada de interessante e de inovador, e se der uma olhada na aprovação da crítica americana você não vai ficar assim tão empolgado como deveria para levantar dessa cadeira agora e ir para o cinema. Mas antes, relaxa, leia o que temos a dizer sobre o maior novo filme do vencedor do Oscar Taylor Hackford.

Depois que é (quase) morto por seus comparsas que lhe ajudaram a roubar uma feira de Ohio, Parker jura vingança a todos os que viraram as costas para a ele, e promete recuperar sua parte no roubo, claro. Mas ele não vai conseguir isso com tanta facilidade sem a ajuda de alguém que reconheça o "campo", é aí que entra Leslie Rodgers, uma corretora de imóveis que luta por uma comissão gorda, ainda mora com a mãe e esta a ponto de ter seu carro levado a leilão, por não pagar as prestações do mesmo. Mas juntos eles vão dar um golpe milionário? Vão viver felizes para sempre? Parker vai honrar sua promessa? Leslie vai conseguir desencalhar e pagar o que deve? Sei la, o filme ja esta em cartaz.
Se você é daqueles telespectadores enjoados que reclamam de tudo e deixam de assistir um filme como esse, por causa da atriz que é mais bonita que você ou porque você considera todo o elenco ruim, vou lher dar dois conselhos: o primeiro seria terminar de ler esse post e nunca mais entrar no meu blog de novo, porque prefiro perder um leitor do que escrever para ignorante, e segundo, você não sabe o que esta perdendo, pois mesmo que o roteiro de "Parker" seja muito "mais do mesmo" o conjunto da obra é puro entretenimento, desde as belas curvas de Jennifer Lopez até as lutas muito bem coreografadas.
O diretor Taylor Hackford, que é o atual presidente do Sindicato dos Diretores, executa um filme com muita segurança e sabedoria do que quer, sem dar muitas voltas ou cair na repetição. Taylor, recupera sua boa fase deixada para trás quando dirigiu "Ray" e deu o Oscar para Jamie Foxx, pois no seu trabalho anterior que é o filme "Rancho do Amor", destacava apenas as qualidades artísticas de Helen Mirren, mas que em momento nenhum imprimia a marca do diretor. Aqui, felizmente ele consegue essa marca de volta. Ja o roteiro escrito por John J. McLaughlin é, infelizmente, muito "mais do mesmo", ou seja, não traz nada de novo para o gênero, repetindo fórmulas antigas que ironicamente, funcionam muito bem aqui, como o felizes para sempre no final e a mensagem (que eu não recomendo que você siga) que o crime compensa, sim. Enfim, é um roteiro que mostra muito pouco o potencial que esse roteirista tem, pata você ter uma ideia de quão bom ele é, só ver seus trabalhos anteriores, que foram: "Cisne Negro","Hitchcock" e dois capítulos da minissérie de Tony Scott - "Coma".
No elenco temos, Jason Statham um ator que não saí do lugar, esta a anos por inércia fazendo praticamente o mesmo filme todo ano, o único trabalho que ele fez diferente do gênero ação, foi a deliciosa animação "Gnomeu & Julieta" em 2011, fora isso todos foram a mesma coisa. No entanto, aqui ele começa a demonstrar seu desejo de fazer coisas novas. Tomara mesmo. Nicki Nolte tem escolhido uns papéis muito diferentes para ter seu retorno definitivo aos cinemas depois do espetacular "Guerreiro", ja vimos Nicki ser o prefeito de Los Angeles em "Caça aos Gângsters" ser um apostador no ramo de corrida de cavalos na injustiçada "Luck" e agora encarna um....autônomo? Porque a profissão dele não é bem explicada, sabemos que ele é o cara que arruma os serviços para Parker. Enfim, um papel que não faz merecer seu talento. Infelizmente. Michael Chiklis é um ator que tem me dado muita pena nos últimos tempos, pois desde "The Shield" ao lado de Glenn Close ele não consegue um trabalho de sucesso, pois "No Ordinary Family" por mais que fosse uma série muito agradável foi cancelada pela ABC em apenas um ano de produção, agora tivemos "Parker" que fracassou nas bilheterias, e "Vegas" que esta certa para ser cancelada na CBS. Ou seja, mesmo ele fazendo um bom trabalho (como faz aqui), não vai conseguir "se achar" tão fácil. Por último mas não menos importante, temos Jennifer Lopez, que ao subir no palco como jurada do American Idol em 2011, viu sua carreira dar um salto, ou melhor, um reviravolta, pois assim que ela lançou "On The Floor" em parceria com Pitbull (vídeo que obteve mais de 660 milhões de acessos) ela estava pronta para lançar seu novo álbum após 4 anos longe dos estúdios: "Love?", o que não parou por aí, ja que logo em seguida ela ja estava listada no mega elenco do divertidíssimo "O Que Esperar Quando Você Está Esperando" e integrava o elenco de vozes do morno "A Era do Gelo 4". Até que em 2012, Jennifer decidiu mudar não só na música, mas deixou o time de jurados do "American Idol", pediu o divórcio no momento que gravava esse filme e felizmente, mostra que esta decidida a mudar de vida, porque aqui, ela é sem dúvida a melhor do elenco. Como saber que ela esta mudando para melhor? Foi o fracasso do filme nas bilheterias.
Se eu fosse você iria aos cinemas assistir "Parker", porque essas outras bobagens que estão em cartaz, serão "remakizadas" em alguns anos.
Nota: 7,5

1 comment:

  1. Deve ser apenas mais um filme comum.

    ReplyDelete