Dezesseis Luas

Infelizmente rotulado de "o novo Crepúculo", "Dezesseis Luas" carrega nas costas enormes responsabilidades e pressões, feitas não só pela Warner Bros., mas por toda uma seita chamada de Twihards (os fãs de Crepúsculo), que não só exigem uma "continuidade" da saga, mas também novos "Roberts Pattinsons","Kristens Stewarts" e "Taylors Lautners". E isso, a adaptação dos livros de Kami Garcia e Margareth Stohl não entrega, mas faz melhor, muito melhor.
Lena Duchannes possui uma herença que se revelará no seu aniversário de 16 anos, ou seja, quando completar suas Dezesseis Luas, o poder do mal ou o poder do bem envocarão sua natureza, sendo assim, escolhida para servir o lado do bem (na qual sua família faz parte) ou o lado do mal (que sua prima e mãe fazem parte), mas algo de muito errado pode acontecer se ela se apaixonar por um ser humano, o que (felizmente ou infelizmente) acontece.
Segundo a sinopse acima, você concluirá que esse filme não merece sua atenção, até porque o filme é lançado não para contar histórias, mas sim, para que a Warner Bros. possa fisgar a lucrativa seita dos fãs de Crepúsculo. Porém, é aí que esta o grande erro, pois o filme não esta preocupado em ser bom, contar boas histórias ou conseguir uma boa aprovação da crítica, o filme esta aqui, exclusivamente para ter uma bilheteria gorda e tornar Alice Englert e Alden Ehrenreich, atores pré fabricados para que a terrível Hollywood juvenil os engula e os transforme em jovens bonitos cheios de fãs chatos que não viram nenhum dos seus filmes anteriores, porque se você perguntar para algum (demente) fã de Kristen Stewart qual filme que ela fez antes de se "tornar" famosa com "Crepúsculo", este fã certamente te responderá que ela fez sua estreia no cinema na Saga, nem cogite em ouvir "O Quarto do Pânico" ou "Na Natureza Selvagem".
Quando "Dezesseis Luas" se preocupa em fazer sua próprio marca, ele consegue ser um filme de grande qualidade, mesmo que a história parece fantasiosa e muito bizarra. É a primeira vez que uma história de bruxas me agrada, porque em "João e Maria: Caçadores de Bruxas" esperava bruxas mais sofisticadas e "bonitas", mas o que vimos la, foram demônios muito mal feitos, assim como o filme em si. No entanto, "Dezesseis Luas" traz bruxas muito bonitas e bem vestidas, que me agradaram muito.
O elenco é outro diferencial que merece sua atenção, mesmo que você seja um daqueles preconceitosos que ao olhar o Trailer ou a sinopse dizem as famosas pérolas de um ignorante: "Ah, não gostei, não vou assistir". Alden Ehrenreich se mostra um ator em ascenção capaz de assumir a responsabilidade de assumir o personagem poucos dias antes do início da filmagem. Tendo em vista os trabalhos que Alden fez antes desse, como "Tetro" de Francis Ford Coppola e "Segredos de Sangue" (que enfim chega este final de semana nos EUA), podemos concluir que nos entregará trabalhos muitos bons e performaces melhores a num futuro próximo, melhor que Robert Pattinson (com certeza). Alice Englert entrega um trabalho melhor que Kristen Stewart em "Crepúsculo", pois mesmo pálida, Alice mostra um bom senso de humor, e não se acanha ao contracenar com gigantes como Emma Thompson,Viola Davis e Jeremy Irons. Ela será grande um dia. A veterana Eileen Atkins esta muito divertida como a vó da família, conseguindo repetir seu sempre grande feito de nos fazer rir com um ar irônico. Margo Martindale merecia um papel maior e melhor, mas aqui, ela reforça a tese que ela consegue interpretar qualquer papel, independentemente se seja real ou não. Emmy Rossum é sem dúvida a melhor do elenco jovem. Mesmo que Alden e Alice estando bem, Emmy esta confiante,soberba,divertida e formidável. Já os grandes nomes, Viola Davis finalmente apresenta o motivo de quase aparecer careca na cerimônia de entrega do Oscar em 2012. No entanto, ela não surpreende apenas pelo corte de cebelo, mas por acreditar na sua personagem e no filme que participa, sempre deixando o maior espaço possível para os jovens atores aparecerem. Jeremy Irons esta super avontade como o patriarca da família que adora tocar Chopin, deixando bem claro que ainda
não esta morto, e continuará a entregar bons trabalhos e salvar filme medonhos (como "As Palavras"). Por fim, Emma Thompson esta um assombro, interpretando dois papéis, a vencedora de 2 Oscars esta indiscultivelmente bem, maravilhosamente divertida e (sem sombra de dúvida) emplacando como sua melhor porformace desde "Nanny McPhee e as Lições Mágicas".
Também temos, além de um elenco muito competente, o melhor figurino dos filmes de 2013 até o momento, (melhor até que "Caça aos Gângsters"), efeitos visuais belissímos (mesmo que em certos momentos deixe um pouco a desejar), a fotografia de Philippe Rouselot também é muito boa, a direção de arte feita pelos mesmos que fizeram a da "Saga Crepúsculo" melhora muito, e a maquiagem é sublime, sem ser exagerada ou que deixe de ser passada despercebida.
Cabeça Aberta? Sem nada para fazer no fim de semana? Fã de Emma Thompson? Adora uma história de bruxas? Vá ao cinema agora mesmo assistir "Dezesseis Luas", porque mesmo que os americanos não tenham dado o devido valor para o filme, acredito que você é uma pessoa inteligente.
Gostaria de ver "Dezessete Luas", mas acredito que com o péssimo resultado das bilheterias, a sequência ficará na gaveta por um bom tempo.
Nota: 8,0

0 comments: