O Exótico Hotel Marigold

Colocar um filme sobre um grupo de velhinhos que abandona seus respectivos,empregos,famílias e casas para se aventurarem na Índia,no mesmo final de semana que estreia "Os Vingadores" seria suicídio por parte da Fox Searchlight,ja que a maioria dos seus filmes manteram uma boa arrecadção durante o ano. Mas por incrível que pareça,a estratégia deu certo e transformou o filme num dos mais lucrativos do ano,colcando de lado o orçamento pífio de 10 milhões,mas a aparente versão idosa de "Comer,Rezar,Amar" não fez esse sucesso sem competência,muito pelo contrário,além de ser um das maiores bilheterias de 2012 (e da Fox Searchlihgt),é uma das comédias de maior qualidade do ano.
Quando Evelyn decide mudar de vida depois do falecimento do seu marido,ela "larga" sua casa e família para realizar seu sonho de ir a Índia,mas quando outros idosos decidem fazer o mesmo,menos a senhora Muriel que esta a caminho do país para fazer uma cirurgia no fêmuor,eles se encontram no aeroporto e viajam rumo ao Exótico Hotel Marigold to título,que não é o que estava no panfleto da agência de viagem.
Ao assistir "Shakespeare Apaixonado",observei uma qualidade um tanto peculiar no jeito de dirigir de John Madden,ele possuia um jeito mais dinâmico de dirigir um elenco tão grande (e cheio de grandes egos) sem perder o mais importante: a qualidade. E isso,é refletido diretamente no ritmo e evolução do filme,que começa um pouco acanhado de falar o que tem pra dizer e vai ganhando espaço,nossa atenção e por fim,estamos praticamente grudados a TV ou apertados na cadeira do cinema com asiedade em saber como terminara essa deliciosa história.
Mas como ja estou chato em falar,do que adiantaria uma história tão deliciosa e cativante e um diretor experiente sem um elenco decente? Judi Dench esta tão bonita e a cada papel ela evolui,merece todos os prêmios que lhe forem concedidos,até mesmo a indicação ao Globo de Ouro em Melhor Atriz de Comédia Tom Wilkinson pode parecer meio envergonhado por causa do personagem,mas ele sabe como improvisar  e se descontrair em cena,mesmo que o papel seja diferente para ele. Bill Nighy e Penelope Wilton fazem um casal tão simpática,que quando eles (finalmente) se separam ficamos divididos entre alegria e tristeza. Ambos estão ótimos e possuem uma boa química. Mas temos que reconhecer que realmente se sai melhor, Maggie Smith esta impagavelmente cômica,ela nos diverte com tão pouco que parece até fácil fazer esses papéis. Maggi esta num dos melhores trabalhos de sua carreira.
Todos os prêmios que esse filme concorre não são mais do que merecidos.
Vale a pena conferir uma das melhores comédias do ano.
Nota: 10

0 comments: