Jack Reacher - O Último Tiro

Segundo o site do The New York Times, o livro que deu ogiem a este filme "One Shot" esta na 8ª posição na lista dos mais vendidos nesta semana,sendo que "Um Porto Seguro" esta em primeiro lugar devido a proximidade do lançamento do filme nos cinemas norte americanos,mas mesmo estando com essa bola toda na venda de livros,"Jack Reacher - O Último Tiro" ficou um pouco aquém das expectativas da Paramount, para um filme com Tom Cruise no elenco: um orçamento de 60 milhões para uma arrecadação mundial de 174 milhões,para um mercado que tão cedo apresentará fechamento. E se você esta pensando que é muita coisa, "Missão: Impossível 4 - Protocolo Fantasma" fez quase 700 milhões mundialmente.
Sendo assim,pelas informações que circularam essa semana "Jack Reacher - O Último Tiro" disparou apenas um tiro mesmo,ja que a Paramount não esta disposta a financiar uma sequência.
Nesta adpatação do livro de Lee Child,vemos James Baar,um cara pacato que tem poucos amigos,é um ótimo atirador e tem um passado sujo como todos nós,mas num belo dia,ele é acusado de assassinar cinco pessoas no centro da cidade. Sobra então para seu "amigo" Jack Reacher ajuda-lo a provar sua inocência,mesmo que ele esteja em coma. Juntando uma informação com a outra,Jack com a ajuda da advogada Helen,descobre que há coisa maior e pior que apenas uma mera injustiça.
Se você gosta de Tom Cruise tanto quanto eu,sabe que esse ator tem uma presença incrível de cena,que consegue transformar um roteiro horrível em bom,tornar uma atriz insosa em aceitável e um filme prestes a cair no ruim,em algo muito interessante. E (felizmente) ele usa todos esses artifícios aqui e salva o filme de se tornar o primeiro longa ruim de sua carreira.
Começamos então pelo elenco: Tom Cruise esta indiscutivelmente bom como sempre,e duvido que ele algum dia será o problema em qualquer filme que for fazer. Rosamund Pike (a advogada Helen)  se revelou fazendo os exaustos filmes da franquia "Johnny English",mas infelizmente não vi essa atriz fazer um papel que realmente fosse levado a sério,mesmo fazendo "Educação" ou "Minha Versão do Amor" ela ainda vai demorar para mostrar ao grande público e a crítica a atriz que ela pode ser. Aqui,digamos que ela convence,seus erros são (a maioria) da direção,que nem ao menos se deu o trabalho de colocar algemas na refém nas cenas finais do filme. David Oyelowo (o delegado Emerson) também não mostra a que veio,mesmo que ja tenha participado de filmes melhores que os de Rosamund,ele esta destavelmente chato,dando a entender que esta com algum tipo de corrente ou algemas que não o liberta para interpretar o personagem. Werner Herzog é um excelente documentarista,mas infelizmente como vilão ele não consegue ser ameaçador,mesmo com alguns dedos faltando e um olho coberto de catarata,ele não convence como vilão,uma pena. Richard Jenkins ja foi alvo de muitos dos meu elogios pela sua versatilidade e concentração,mas foi um erro coloca-lo num papel que até Adam Sandler faria,em outras palavras,ele não  precisavade um filme desse no seu currículo.
O roteiro é um completo desastre,mesmo sendo escrito pelo ganhador do Oscar de Melhor Roteiro Original Christopher McQuarrie por "Os Suspeitos",temos texto que não tem bons diálogos,não constroi bons personagens (a não ser o de Jack Reacher) e não contém muitos momentos cômicos,algo essêncial num filme de ação de Tom Cruise. Além disso,a história é tão perdida quanto a de "As Palavras". E se como roteirista McQuarrie ja deixa muito a desejar,na direção ele faz um trabalho quase tão ruim quanto,mas sobra (novamente) para Tom Cruise colocar uma máscara no trabalho mediano de McQuarrie e fazer paracer algo não tã ruim.
Última coisa,a cena final da luta na pedreira não é o mesmo cenário do péssimo e terrível "Motoqueiro Fantasma 2: Espírito de Vingança"?
Com Tom Cruise tudo fica bom,transformando algo medianamente ruim em algo interessante para as férias,mas é só.
Nota: 7,5

0 comments: