Canção do Coração

Os brasileiros mal sabem da existência desse filme,até porque,nem o enredo e (muito menos) o elenco possuem algum apelo de público por aqui.Mas permitam-me denfende-los,no Brasil histórias que envolvem algum tema relacionado a igreja ou religião tendem a repelir público,principalmente,os católicos como "Aparecida - O Milagre",porém você pode me perguntar aonde estão os filmes espirítas que renderam milhões como "Chico Xavier" e "Nosso Lar",mas atualmente filmes com essa temática tem visto suas arrecadações caírem em queda livre como "As Mães de Chico Xavier" e "E A Vida Continua...".
Mas a pergunta que não se quer calar,será que vale a pena "Canção do Coração" estrear no mercado brasileiro? Sinceramente,não. Se nem os religiosos brasileiros o nosso povo assiste,imagina os feitos nos Estados Unidos.
Mas vamos ao que interessa "Canção do Coração" é ou não é bom? Digamos que ele é competente,mesmo que tenha um roteiro muito clichê e desprovido de novidades,o filme se salva com seu elenco,mais precisamente, devido a presença e carisma de Dolly Parton que mostra que ainda possui uma beleza e presença em cena que nem as mais experientes atrizes conseguem ter.
O diretor e escritor Todd Graff,o mesmo de "High School Band" (dai que vem a coincidência de histórias), não consegue escrever um roteiro que fuja do previsível ou que de espaço para o elenco se entrosar mais em cena.Ainda bem que tínhamos a segurança e o espírito bem humorado Queen Latifah,porque se dependessemos dos estreantes Keke Palmer e Jeremy Jordan (fazendo sua estreia no cinema) teríamos mais um mero filme feito aos moldes do Disney Channel.
Neste roteiro cafona,vemos Vi Rose Hill (Queen Latifah) uma mulher normal do coral da igreja, que é a segunda na fila de sucessão de chefe do coral,até que o marido de G.G Sparrow (Dolly Parton) morre e deixa Vi Rose no poder do coral,ou seja,todas as decisões devem passar por ela e o pastor da igreja. Até a entrada de Randy (Jeremy Jordan) no coral,que será o futuro namorado de Olivia Hill (filha de Vi Roe,interpretada por Keke Palmer),que tenta mudar o jeito que o coral se apresenta,para eles poderem ter alguma chance de ganhar a competição nacional de corais de igreja.
Como ja citei acima,o filme sofre por causa do roteiro sem criatividade e uma direção repetitiva,mas ver  esse Dolly e Queen cantando músicas simpáticas,vale a sessão,ainda mais com a briga no restaurante. #hilária
Nota: 7,5

0 comments: